17/10/2017

17 DE OUTUBRO DE 2007


Faz hoje, dia 17 de Outubro de 2017, 10 anos, que faleceu a Dr.ª Maria Lucinda Gouveia Pires, a saudosa e querida “Lucindinha.”
Será que morreu?
Não. Ela está aqui todos os dias no Casteleiro e, para sempre, no nosso pensamento, no nosso coração, a toda a hora e momento.
Que Deus, em paz, a tenha no eterno descanso que bem merece.

Daniel Machado


07/10/2017

REDUTO

O Largo do Reduto vai ganhar novas formas. Após largos meses de negociações, a Junta de Freguesia adquiriu as “palheiras” junto à capela do Espírito Santo, entretanto já demolidas. No local vai nascer um WC público e reordenado todo o espaço envolvente. O projecto está concluído e foi já entregue na Câmara do Sabugal no início do mês de Agosto.









02/10/2017

CASTELEIRO SEMPRE

Este blog “Viver Casteleiro” nasceu em Setembro de 2009, por minha iniciativa, no âmbito das eleições autárquicas daquele ano. Posteriormente, despiu as vestes políticas e passou a ser uma plataforma de comunicação aberta a todos os casteleirenses. O Casteleiro passou a ser o único tema deste espaço.
Exactamente por essa razão, e porque estivemos em período eleitoral, não foi aqui publicado qualquer post nas últimas semanas. Foi uma interrupção voluntária.
Terminado o acto eleitoral, o Viver Casteleiro volta a ganhar dinâmica.
Os casteleirenses reforçaram o seu apoio à actual Junta de Freguesia que continuará nos próximos quatro anos a procurar, com os escassos meios que dispõe, criar as melhores condições para todos os que lá vivem.
O Casteleiro corre-nos no sangue e é, será sempre, a mais bela aldeia.
Mãos à obra.

António Marques


20/08/2017

E A FESTA DE SANTO ANTÓNIO REALIZOU-SE


Casteleiro 2017
Na contingência de, este ano, a não se realizar a Festa de Santo António, por não haver mordomos, esta realizou-se mesmo, graças à predisposição e boa vontade do Centro de Animação Cultural do Casteleiro que se propôs realizá-la.
Do programa, para os dias da Festa, 4, 5 e 6 de Agosto de 2017, onde se incluía o habitual Convívio, desta vez, com jantar para todos os sócios do Centro de Animação Cultural, atempadamente divulgado e abaixo indicado, a seguir, através destas 73 fotografias (ver na página do facebook do Viver Casteleiro), poderemos comprovar que houve Festa rija e animada.
Com um até breve para o ano, parabéns e um agradecimento ao Centro de Animação Cultural do Casteleiro.

Daniel Augusto Machado





 

04/07/2017

Utentes do Lar S. Salvador em actividade



Inseridos num ambiente de festa os utentes da Associação do Lar e Centro de Dia de São Salvador do Casteleiro têm participado em diversas atividades.

A convite do Município do Sabugal, no passado dia 4 de Maio, os nossos utentes marcaram presença no Dia do Coração, atividade que ocorreu no Pavilhão Municipal.
No dia 12 de Maio, proporcionamos aos nossos utentes, uma visita ao Museu dos Descobrimentos, em Belmonte, onde puderam ver o espaço que tem como principal objetivo dar a conhecer o feito de Pedro Álvares Cabral. Durante o passeio foi possível a cada um aproximar-se às histórias dos descobrimentos e do Brasil.
E porque a interação e convívio são elementos chave num envelhecimento ativo e com qualidade de vida, a instituição recebeu no pretérito dia 21 de Junho os utentes da ARPAZ- Lar de S. Simão, Barco- Covilhã. Foram recebidos em ambiente de festa com as tradicionais marchas de S. João, representadas pelos nossos utentes.

A Sardinhada realizada na instituição, envolvendo utentes e colaboradores, foi o mote para o início das comemorações dos Santos Populares, comemorando a efeméride do Dia de Santo António.
No dia 25 de Junho, deslocamo-nos ao Sabugal para participarmos nas Marchas Populares das IPSS's, inseridas nas Festas de S. João, onde o grupo de utentes subiu ao palco, vestidos a rigor e apetrechados com os tradicionais arcos e balões de S. João.

A velhice não é a conclusão necessária da existência Humana, é uma fase da existência diferente da Juventude e da maturidade, mas dotada de um Equílibrio próprio e deixando aberto ao indivíduo uma Gama de possibilidades.”
Simone de Beauvoir



A Direcção

03/07/2017

Houve sardinha no Terreiro

A tradição cumpriu-se. Mais uma vez o Largo de São Francisco acolheu muitos casteleirenses e amigos
 para a Sardinhada de São Pedro.




28/06/2017

Sardinhada de São Pedro

Como de tradição, a Junta de Freguesia de Casteleiro realiza a sardinhada de São Pedro. No próximo domingo, dia 2, a partir das 17h, no Largo de São Francisco. Uma sardinhada para toda a população e amigos que nos queiram visitar.
 
 

09/06/2017

Reordenamento do Largo do Reduto

Após longos meses de negociação, a Junta de Freguesia de Casteleiro concretizou a aquisição de duas 'palheiras' situadas ao lado da Capela do Espírito Santo, no largo do Reduto. O projecto tem por objectivo a construção de um WC público, uma já antiga aspiração da população. O processo de demolição das edificações existentes que se encontravam em adiantado estado de ruína já se iniciou. Simultaneamente, será reordenado todo o espaço envolvente.
António Marques

 

26/05/2017

Festa da Caça em directo


A realização da Festa da Caça, este ano na sua V edição, tem motivado a deslocação ao Casteleiro de muitos conterrâneos oriundos de todos os pontos do País e de diversos países onde se encontram emigrados. Este ano não foge à regra. Hoje já nos cruzamos com amigos vindos de Lisboa, Porto, diversas regiões de França, Suiça e Luxemburgo. Um grande bem-haja a todos eles. A Festa é vossa.
Mas também há os que por diversos motivos, nomeadamente profissionais, não vão poder estar presentes. Para esses aqui fica o compromisso de, durante os dias de sábado e domingo, na página do Viver Casteleiro no facebook, serem feitas regulares transmissões vídeo em directo. Vamos levar a Festa a todos os que nos quiserem seguir. Todos os Casteleirenses e Amigos do Casteleiro.


15/05/2017

Caminhada Vale da Srª da Póvoa - Casteleiro

No próximo dia 28, numa organização da Câmara Municipal de Penamacor e Rota & Raízes e no âmbito da Semana Europeia de Geoparques, realiza-se a Caminhada Conhecer o Geossítio  Serra D’Opa e o Castro de Sortelha Velha. São 14,5 Km com partida do Vale da Senhora da Póvoa  até ao Casteleiro, onde terá lugar o almoço em plena Festa da Caça. Uma iniciativa que conta com o apoio da Junta de Freguesia de Casteleiro. Inscreva-se na Caminhada, cruze a Serra D’Opa e junte-se à Festa da Caça!
 
 
 

07/05/2017

"MARAFONA " NA FESTA DA CAÇA

DIA 27 - 22H
"MARAFONA"
 
É com imenso prazer e com a certeza de que vai ser uma noite inesquecível, que anunciamos o concerto do grupo “MARAFONA” na Festa da Caça. Som único, de raízes bem portuguesas, um concerto a não perder na noite de sábado, dia 27 de Maio.
 
 
 
 

01/04/2017

Festa da Caça - Largada de Pombos

Iniciamos hoje a divulgação dos eventos integrados na Festa da Caça do Casteleiro.
 
DIA 27 - 9 H
LARGADA DE 500 POMBOS
 
 
 
 

12/03/2017

Primo Augusto: Prisioneiro e não desertor

A 21 de Março de 1917, faz agora 100 anos, o casteleirense Primo Augusto, soldado do Regimento de Infantaria 12 da Guarda, embarcava em Lisboa a bordo do navio inglês Bellerophon com destino ao porto de Brest em França. Era um dos 25 jovens do Casteleiro integrados no Corpo Expedicionário Português que participou na primeira guerra mundial.

Primo Augusto era filho de António Fernandes Carriço e Maria da Conceição. Na sua caderneta militar podemos ler que, passados uns meses, a 13 de Agosto, é punido com quatro dias de detenção por ausência a um serviço e, no dia 27, baixa ao hospital.
Mas, o facto mais relevante é que a 26 de Fevereiro de 1918 é considerado desertor, não tendo pois participado na Batalha de La Lys que ocorreu a 9 de Abril desse mesmo ano. Só quase um ano depois, a 16 de Janeiro de 1919, a sua ficha dá conta da sua presença com a frase “vindo do inimigo”.
Ora, a verdade é que o nosso conterrâneo Primo Augusto não desertou. Foi capturado pelo inimigo e esteve quase um ano no campo de prisioneiros de Dulmen, na Alemanha. Um campo para praças onde, por exemplo, a 24 de Agosto de 1918 estavam 300 prisioneiros. Primo Augusto era um deles.
Cem anos depois é possível “limpar” o nome deste nosso conterrâneo graças a uma investigação junto do Comité Internacional da Cruz Vermelha, onde consta a sua ficha de prisioneiro.
Ficha de prisioneiro
Chegada de prisioneiros. "Ilustração Portuguesa", 10/Fev/2019
Primo Augusto viria a embarcar para Lisboa a 31 de Janeiro de 1919, quinze dias depois de ser libertado, e chegou ao cais de Santos a 4 de Fevereiro, dois anos depois da sua partida.
Da informação que foi possível recolher, Primo Augusto viveu sempre em Gonçalo onde viria a falecer em 21 de Abril de 1960.
 


 
"Reduto", crónica de António José Marques