10/05/2019

FESTA DA CAÇA - Dia 18

Dia 18 a Festa começa com uma Largada.


FESTA DA CAÇA - Dia 19

Integrado no programa da Festa, realiza-se no dia 19 durante a manhã, uma Prova de Santo Huberto. Uma iniciativa da Federação de Caça e Pesca da Beira Interior e apoio do Clube de Caça e Pesca do Casteleiro e Junta de Freguesia.




05/05/2019

FESTA DA CAÇA - Dia 19

Dia 19, domingo, a tarde vai animar
com a já tradicional presença da DESERTUNA -
Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
 
 
 

04/05/2019

FESTA DA CAÇA - Dia 19

Domingo à tarde, dia 19 de Maio,
 o Rancho Folclórico da Boidobra
 marca presença na Festa.
 
 
 

22/04/2019

FESTA DA CAÇA - Animação Musical


VI EDIÇÃO DA FESTA DA CAÇA

Nos próximos dias 18 e 19 de Maio, a Junta de Freguesia de Casteleiro leva a efeito a VI edição da Festa da Caça, um evento de âmbito regional este ano sob o signo do Olival. Com um formato renovado, a Festa da Caça deste ano integra a realização de evento inédito no dia 19, às 10h: Um Passeio Canino por entre os Olivais da freguesia com conversas sobre Caça, Natureza e Ambiente, a diversidade dos Cães de Caça e o Olival e a tradição da Caça nas Terras Quentes do concelho do Sabugal. Também, no dia 18 a partir das 09h.30, terá lugar a iniciativa “Pintar Casteleiro” com a presença de algumas dezenas de pintores que vão passar para a tela as cores da Aldeia.
Animação musical, produtos locais e regionais, artesanato, gastronomia e pratos de caça, show cooking de azeite e uma área reservada aos mais novos com cerca de 200m2, são outros dos motivos para reservar já na sua agenda uma ida ao Casteleiro.

FESTA DA CAÇA - "CÃOsteleiro"

Inserido na Festa da Caça que este ano terá lugar nos dias 18 e 19 de Maio, a Junta de Freguesia de Casteleiro promove no domingo, dia 19, às 10h, a primeira edição do “CÃOsteleiro”, um passeio canino sob o signo do Olival num percurso com três paragens onde se falará de Caça, do Azeite, de tradições e de Cães de Caça. Aberto a todos os interessados, com ou sem a sua companhia canina.
 
 

13/02/2019

Queimas de mato


A Junta de Freguesia informa que todas as queimas e queimadas de matos está obrigatoriamente sujeita a comunicação prévia à Câmara Municipal. Deste modo quem tiver intenção de realizar uma queima, fogueira, de sobrantes deverá comunicar o facto ao Gabinete Técnico Florestal ou através do telefone 271751040.



27/01/2019

Quinta do Ameal foi o primeiro nome da Quinta de Santo Amaro


Em 9/7/2013 publiquei neste espaço um documento inédito  do primeiro numeramento do reino, feito entre 1527 e 1532, de todos os lugares do então termo de Sortelha. Lá constava o Casteleiro com 52 fogos e outras quintas e casais. No entanto, a quinta de Santo Amaro não constava….
E não era referida porque tinha outro nome: “Quymtam do Ameall”, com 2 fogos.
 
A Quinta do Ameal foi um prazo da Comenda do Seixo Amarelo da Ordem de São Bento de Avis. Pelo menos em 1396 já pertencia à Ordem, já que D. Afonso IV a escusou de impostos por estar despovoada. Na ocasião estava aforada a Fernão Gomes Góis.
Os caminhos de quando se investiga o passado são sempre imprevisíveis. E eis que é hoje possível saber e tornar público parte da estória de como a família Costa Lobo chega a esta Quinta que até hoje conhecíamos apenas por Quinta de Santo Amaro.
 
 
Gregório Tavares da Costa, filho de Luís Tavares da Costa e Inês de Cáceres, Capitão Mor da Covilhã, Fidalgo da Casa Real, casou primeira vez com Maria de Campos, viúva de António Camelo Botelho que detinha o aforamento da Quinta. Este tinha herdado esse aforamento de seu pai, Nuno Camelo, em 1591, que o tinha herdado de sua mãe D. Constança Afonso de Proença em 1538, que esta recebera em 1530 por morte do marido, Jorge Álvares.
Maria de Campos deixa em 1624, por 3 vidas, o aforamento da Quinta a seu marido Gregório Tavares da Costa. Este é o momento que vai ditar a posse da Quinta do Ameal e mais tarde de Santo Amaro à mesma família por mais de três séculos.
Por morte de Maria de Campos, em julho de 1653, Gregório Tavares da Costa casa com Catarina Pinto Lobo em 15/5/1655, na Covilhã. Catarina Pinto Lobo, filha de Francisco Pinto Lobo, de Seia, e Inês Mendes, da Covilhã, descendente dos Senhores da Quinta de Carragosela de Santa Comba (Seia).
Em 30/11/1678, Gregório Tavares da Costa Lobo (passa a usar o apelido da esposa), obtém o aforamento em seu nome, por mais três vidas. Fica a pagar a renda de 1220 réis, a entregar no dia de Natal. Faleceu em 26/2/1684 e sucedeu-lhe seu filho Luís Tavares da Costa Lobo.
Este é, apenas, o início da estória da posse da Quinta até ao seu último proprietário José Caetano Tavares da Costa Lobo, nascido em 2/11/1876, oitavo neto de Gregório Tavares da Costa Lobo, por todos conhecido pelo “Morgado de Santo Amaro”.
 
Mas, seria mesmo Morgado?
 
 
"Reduto", crónica de António José Marques
 
 

07/01/2019

Passagem de Ano na Casa da Esquila



Ano após ano, a PASSAGEM DE ANO NA CASA DA ESQUILA, no Casteleiro - Sabugal, tem-se vindo a realizar e a afirmar como uma das melhores e mais acolhedoras da região.
Assim, este ano, com lotação esgotada, ultrapassou as nossas expectativas, no embelezamento e aconchego do Salão, onde com música ao vivo, boa disposição e alegria, foram servidos com eficiência e rapidez os tão requintados e apetitosos pratos “gourmets”, de acordo com as ementas, colocadas nas mesas para serem consultadas, assim:

AS ENTRADAS DA ESQUILA, com bebidas à descrição, na Sala do “Gourmet”
NO SALÃO
- Folhado de Camarão com salada de citrinos
- Filete de Robalo com trouxa de tomate e Arroz selvagem
- A delícia do porco criado a bolota numa harmonia com trufas verdadeiras
- Regresso ao Passado, Morango, Chocolate e Baunilha
- Café e Digestivos
- Passas e Espumante
BUFFETS DA NOITE, com bebidas à descrição, na Sala do “Gourmet”

 

Após o Buffets da noite, com um até para o ano e votos dum BOM ANO, para todos aqueles que contribuíram para o excelente e eficiente serviço, na pessoa do seu proprietário e prestigiado Chef Rui Cerveira, os nossos sinceros agradecimentos.
Até para o ano.

Daniel Machado